26 Dec 2013

Feliz Festa do Chapéu Bobo!

Este ano após batalhar novamente com a falsidade e o materialismo capitalista embutido no natal eu decidi injetá-lo com o meu próprio significado; o que eu acredito que nós deveríamos estar celebrando, ou nos lembrando de.

Pra começar, esqueçam do aniversariante. Bejo-me-liga. A pessoa que teoricamente está fazendo aniversário no dia 25 foi um dos mais prolíficos e lidos autores contra o materialismo e possessões pessoais e ainda assim foi totalmente sobrepujado pela mídia em massa e o propagandismo sendo cuspido pra dentro da sala de todas as famílias - e agora graças aos telefones espertinhos e anúncios na internet - nos quartos, cozinhas e banheiros também.

Isso me levou a pensar sobre o quanto as pessoas gostam dos presentes, então essa deve ser uma celebração dos presentes; talvez eu pudesse interpretar isso como O presente, aquele em que vivemos, o nunca desistente ponto da existência, o AGORA, a coisa que está "sentada" entre os conceitos de passado e futuro... essa é minha chave para a compreensão, eu não estou definindo o natal como outra coisa do que é: uma celebração dos presentes; eu somente estou ajustando um pouco a idéia de presente de uma caixinha embrulhada para o instante em que vivemos.

Então como celebrar essa festa? O que re-presentaria o presente na festa dos presentes?

Minha resposta: Um Chapéu Bobo!



O chapéu bobo é uma grande representação do presente primeiramente porque não devemos levá-lo a sério e isso também é verdade para nossas vidas cotidianas.

Acima disso, estamos sempre vestindo um chapéu bobo, de qualquer maneira... a parte triste é que as pessoas não notam ou se importam que o chapéu bobo que eles têm em suas cabeças não foram feitos ou postos ali por eles, mas outras pessoas: pais, professores, amigos estranhos, colegas de trabalho. Nós andamos pela vida vestidos com esses chapéus bobos nas nossas cabeças torcendo por eles, defendendo-os como se nossos fossem, mas não são. A maior parte do tempo nem gostamos de nossos chapéus bobos ou pensamos em trocá-los, nós somente continuamos com eles na cabeça.


Alguns dos chapéus bobos que usamos são instalados utilizando-se um dispositivo tecnológico chamado tele-visão; como é estranho esse nome! Os padres sem Deus que controlam o aparato chamado tele-visão o usam para imprimir na cabeça das pessoas uns chapéus bobos muito estranhos, que as fazem machucar e odiar umas às outras, enquanto AO MESMO TEMPO defendem os chapéus bobos como se fossem seus, vestindo-os até o fim de suas vidas, criticando outros chapéus bobos que outras pessoas possam gostar de usar, sem perceber que os seus também são bobos.



Essa é outra mensagem do chapéu bobo: você tem o seu, eu tenho o meu, nenhum de nós pode levar o do outro a sério então não devemos criticá-los também. Eles são todos bobos. Novamente: TODOS OS CHAPÉUS SÃO BOBOS, mesmo os que chamamos de "capacetes" (usar um capacete para andar de moto pode não parecer bobo a princípio, porque a idéia boba não é usar o chapéu, é andar de moto. O mesmo se aplica à maioria dos capacetes, exceto o dos astronautas; talvez esse seja o único chapéu não-bobo que a humanidade já fez até agora).



Até mesmo o papai noel usa:




Então esse natal eu fiz um pequeno projeto artístico manufaturando meu chapéu bobo (acompanhado pela minha mãe, que fez o seu também) e o vesti com orgulho, tirei umas fotos, e expliquei pra minha família o que ele significava. Foi uma bel tradição de natal que eu acabei de começar e pretendo continuar. No próximo natal junte-se a nós, faça seu chapéu bobo! E enquanto isso, pense sobre quais chapéus bobos você usa, quem os pôs na sua cabeça, e porque você ainda os usa.



Feliz Festa do Chapéu Bobo!